Documentação

Controlo do armazenamento da bateria
(para versões de firmware a partir de 1.25.2)

A documentação para o controlo do armazenamento da bateria para versões de firmware < 1.25.2 pode ser encontrada aqui.

A maioria dos sistemas de armazenamento de baterias instalados em conjunto com sistemas de energia solar tem uma regra de carregamento incorporada, segundo a qual tentam carregar antes de a eletricidade ser alimentada e tentam descarregar antes de a eletricidade ser retirada da rede. Os sistemas de armazenamento industrial podem ser controlados de acordo com outros critérios, por exemplo, para limitar os picos de carga ou o consumo de energia durante as janelas de pico de carga, de acordo com as especificações do operador da rede. Os pequenos sistemas de armazenamento de baterias seriam submetidos a ciclos de carregamento profundos devido ao carregamento do automóvel elétrico e, por conseguinte, estariam sujeitos a um elevado desgaste. Por isso, em muitos casos, faz sentido controlar o sistema de armazenamento utilizando o Gestor de Carregamento cFos. Para tal, é necessário um modelo que seja controlável ou, pelo menos, uma opção de comutação através de um relé.

Os sistemas de armazenamento podem ser controlados como parte do modelo de bateria SunSpec 124 (por exemplo, Fronius) ou ter os seus próprios registos Modbus que permitem o controlo. Os dispositivos híbridos funcionam como inversores para painéis solares e sistemas de armazenamento. Os inversores, contadores e acumuladores de baterias são criados como mosaicos de contadores no cFos Charging Manager. Por isso, é possível ativar o controlo da bateria em todos os contadores. Para equipamentos SunSpec com o modelo 124, o Gestor de Carregamento cFos tenta controlar o sistema de armazenamento associado. Poderá ser necessário ativar isto primeiro no dispositivo. Para contadores definidos pelo utilizador (Victron, etc.), o Gestor de Carga cFos tenta encontrar uma variável definida pelo utilizador chamada "soc" (em percentagem). Esta pode então ser apresentada no mosaico do contador.

No controlo do armazenamento da bateria, é possível especificar primeiro a potência máxima de carga e descarga. -1 significa que o Gestor de Carregamento não deve controlar a potência de carga ou descarga. Em seguida, pode definir várias regras de carregamento que são processadas uma após a outra a cada poucos segundos e limitam a corrente de carga ou descarga. As regras de carregamento funcionam de forma semelhante às regras de carregamento das Wallboxes. O Gestor de carregamento cFos utiliza a potência máxima de carga ou descarga como valor inicial, ou seja, o valor de controlo, e permite que este seja alterado através do processamento das regras de carregamento.

Depois de todas as regras de carregamento terem sido processadas, existe um limite de corrente (que também pode ser 0) para a potência de carregamento ou de descarregamento. O gestor de carregamento cFos armazena estes valores nas variáveis definidas pelo utilizador designadas "charge_power_w", "charge_power_prc" (especificadas em percentagem), "discharg_power_w" e "discharge_power_prc". Existe também uma variável definida pelo utilizador denominada "bat_mode". Aqui é registado se existe um limite de carga ou um limite de descarga (0=sem valores, 1=limite de carga, 2=limite de descarga, 3=limite de carga e descarga). Os limites são convertidos para os dispositivos SunSpec e escritos nos registos previstos para o efeito. Para os contadores definidos pelo utilizador, é possível criar saídas definidas pelo utilizador que escrevem os valores das variáveis acima referidas no dispositivo. Pode encontrar exemplos disto nas definições de contadores fornecidas para Victron ou Kostal Plenticore. Se o limite de carga ou descarga não for controlado, as respectivas variáveis não existem, pelo que não são escritas na memória. Com a definição "Mode" (Modo) do controlo de armazenamento da bateria, determina-se o que deve acontecer se existirem valores positivos tanto para a potência de carga como para a potência de descarga. "Neutro" significa que o Gestor de Carregamento cFos transfere ambos os valores para o sistema de armazenamento, que depois decide o que fazer dentro de um determinado intervalo. "Dar prioridade à carga" significa que a potência de descarga é definida para 0 se a potência de carga for positiva, "Dar prioridade à descarga" significa que a potência (de carga) é definida para 0 se a potência de descarga for positiva. Isto é útil se o depósito de armazenamento tiver apenas um valor para a potência de carga e de descarga. Se a potência de carga ou de descarga for inferior a 0, as variáveis definidas pelo utilizador são eliminadas. Este facto deve ser tido em conta quando se criam definições de contadores personalizadas. É o caso, por exemplo, se se tiver especificado -1 como potência máxima de carga ou descarga, ou se as regras de carga resultarem em valores negativos. Por exemplo, é possível criar definições de contadores que só têm um efeito de controlo no armazenamento da bateria se as variáveis correspondentes existirem(if exist(charge_power_w)...).

Saída de comutação: Infelizmente, algumas memórias não podem ser controladas diretamente com as regras acima. No entanto, para poder, pelo menos, desativar o depósito de armazenamento com as regras acima (por exemplo, quando um carro está a carregar), pode tentar utilizar um contacto de comutação se o depósito de armazenamento tiver uma entrada de controlo. Se for viável, pode também desligar o depósito do acumulador eletricamente da rede, utilizando um contactor (para evitar a destruição do depósito do acumulador, deve perguntar previamente ao fabricante ou ao eletricista se o dispositivo é adequado para isso). No campo "Saída de comutação", pode especificar o nome de uma variável que é definida como 1 se a potência de carga ou descarga for positiva após a análise das regras de carregamento e como 0 se não for. O gestor de carregamento cFos fornece uma definição de contador para uma caixa de distribuição ou tomada Shelly. Quando se configura este contador, é-lhe atribuído um ID de dispositivo, por exemplo, M5. Pode então especificar a switchbox Shelly em "Switching output" (Saída de comutação) na unidade de controlo do acumulador utilizando: M5.output1. Se o nome da variável for precedido de um sinal de menos, a saída de comutação é invertida(-M5.output1)